Goa – São Paulo

Nesse fim de semana aconteceu a Virada Sustentável aqui em São Paulo. Dei uma pesquisada e vi que eles tinham uma sessão de gastronomia no evento, na qual diversos restaurantes preparariam um menú sustentável. Fucei no site procurando menús vegans de lugares perto da LOGO e encontrei o GOA.

Pela descrição, o prato parecia vegano, mas para confirmar liguei pro restaurante. Me informaram que, sim, esse prato era vegan e que, todos os dias eles tinham pelo menos uma opção de entrada, prato principal e sobremesa veganas.

No sábado na hora do almoço fomos conferir. Chegando lá percebemos que já tinhamos ido ao local uma vez, quando um amigo nos levou, anos atrás. Porém dessa vez chegamos a pé, olhando a rua, a fachada, tudo. De fora é  bem bonitinho, mas esqueci de fotografar. Dentro o local é aconchegante, cheio de mesas com sofazinhos, quadro com os pratos escritos com giz e um mega lustre central. Gostei.

Lendo todas as opções de pratos do sábado fiquei tentada a pegar outro, mas depois que o chef explicou que o menú sustentável era uma receita super leve e boa para fazer à noite, acabei optando por essa mesmo. Se eu gostasse seria uma super aliada, já que não levava carboidratos.

A entrada era uma salada orgânica verde ao molho de limão siciliano e amêndoas. Só que eles estavam em falta de amêndoas, então serviram com macadâmia. Achei gostoso, mas não curti muito o molho.

O menú inclui suco. A opção que nós dois pedimos foi maçã com clorofila. Era um suco super denso, muito bom, quase uma outra entrada.

O prato princial era um spaghetti de zucchini crua e moyashi ao molho de tomate e manjericão fresco. Aí sim. Minha intenção era usar o almoço de sábado para o meu “prato liberado” da semana, só que a receita era tãããoooo light que fiquei no lucro.

Basicamente era uma abobrinha ralada em formato de spaghetti, junto com moyahi, um tipo de broto que também se parece com a massa. Os dois juntos davam a impressão de um pratão de espaghetti, mas não passavam de legumes. O molho, feito com tomates frescos e manjericão ajudava a deixar o prato bem leve. E, apesar da abobrinha ser crua, o prato era quente. Adorei. Super receita para quem não pode comer carboidratos à noite, mas ás vezes se cansa só da salada.  O bom que no Goa você pode repetir o prato que escolher (na verdade pode repetir tudo), então, depois do meu primeiro prato, eu pedi mais uma porçãozinha.

E de sobremesa a opção era cubos de pera em calda de maracujá e mel de melado. Gostei também. Meio cítrico e não muito doce.

Enfim, esse menú do Goa não é exatamente o que eu recomendaria para um carnívoro tentando se converter em vegano, mas para quem curte uma comida natureba e light é ótimo. Já consigo imaginar as pessoas trash que acham que legumes não são comida dizendo “comida vegetariana/vegana é muito chata” (na real eu ouvi isso mesmo ontem de noite em outro restaurante, haha). Mas os outros menús disponíveis no sábado eram mais “gordinhos”, com direito a massas recheadas e feijoada. Tudo junto deu R$ 29,90 por pessoa. E na semana acho que é um pouco menos. O menú sustentável fica disponível até o dia 10 de Junho de 2012.

Vai lá: www.goavegetariano.com.br
Rua Cônego Eugênio Leite, 1152, Pinheiros.

One response to “Goa – São Paulo

  1. Pingback: Salada que parece macarrão «

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: